Clarissa

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009 - Postado por Luiza Drumond às 17:15

O sorriso de Clarissa se alarga. O da menina do fundo do espelho também. Passa a mão pelo rosto. Bonita? Sim, já lhe disseram. Não diretamente, mas ela ouviu. Percebeu. Adivinhou; Foi na rua. Num domingo. Ia para a igreja, contente, cantarolando baixinho, com vontade de pular. Levava um vestido branco de florinhas amarelas e azuis. Em uma esquina estavam dois rapazes. Quando ela passou, cochicharam, arregalaram os olhos e examinaram-na de cima a baixo. Santo Deus; que sensação esquisita! Nem agradável nem desagradável.
Es-qui-si-ta!

Erico Veríssimo.
Clarissa. Rio de Janeiro; Globo, 2001
Reações: