Pedido de uma doente

quinta-feira, 22 de outubro de 2009 - Postado por Luiza Drumond às 09:36

Estou doente, em estado terminal, com olheiras fundas e escuras.
Há cinco anos me trato dessa doença, mas acho que Deus está cortando o laço da vida e eu e está entrelaçando o da morte e eu.
É patético falar que Deus está entrelaçando este laço e é mais patético ainda ver que eu estou prevendo minha morte, realmente não estou ajudando comigo mesma.
Meu olho lacrimeja quando vou ao sol, acho que ele é sensível à luz. Estou tão branca que se eu “mergulhar” entre os lençóis brancos me perco e só me acho assim que abrir meus olhos e ver a morte.
Meu Desejo de ir embora fica cada vez mais em evidência, a dor também não ajuda.
Oh Deus, estou escrevendo em um pedaço de papel higiênico, mas eu só quero que meus pedaços morram pouco a pouco e assim restará só uma mera lembrança que um dia a luz do sol não me cegou e que sim, um dia me iluminou, sentirei falta.

Com todo meu coração,
dê cada pedaço de mim à quem me fez sorrir.
Adeus.
Reações: