07\01\10

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010 - Postado por Luiza Drumond às 17:25
Por um estante parei.
Senti.
Sorri.
E continuei.


Não sei se ano novo me causa essa sem sensação de vazio, estou com necessidade de preenchê-lo, de alegria e paz.
Mais ainda estou decepcionada por não saber responder a pergunta que não me deixa calar. ‘ O que fiz no ano anterior?’. Incomoda-me tanto não saber a resposta, 2009 não foi um ano vivido por viver, o que eu fiz?
Talvez eu esteja um tanto ocupada ou até mesmo encantada com meus pensamentos.
São pensamentos felizes, que me fazem agradecer o quão aprendi no ano anterior.
Até hoje não me dei uma bem-vinda a 2010, fico só a imaginar as coisas que poderão acontecer.

Ou até mesmo olhando pro nada, fixamente para um ponto, uma flor amarela.

Encantando-me com a ópera em meus ouvidos.

Acordo todas as madrugadas às 03h00min, minha tia sempre me diz que é Deus me chamando, então paro novamente e oro:

“Pai nosso que estais no Céu, santificado seja o Vosso Nome, venha a nós o Vosso reino, seja feita a Vossa vontade, assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.”

Nunca vejo a resposta dele:
‘Volte a dormir, Luiza’.
A partir daí não durmo mais, de volta ao inferno habitual, é esse meu inferno cotidiano.
Quando não acordo, me afogo em meio de tantos sonhos e morro e morro. Sinto um toc, toc e toc em meus ouvidos, é Deus novamente:
‘Acorde, são 03h00min da madrugada’.
Meu anjo Deus.
Agradeço a ti o pai, por nunca me deixar morrer nos meus sonhos aflitos, é um prazer infernal acordar todas as madrugadas, um prazer infernal, obrigada.
E então vem em minha mente a imagem do homem do trem. “Será que ele está bem? Será que aprendeu como olhar respeitosamente uma mulher? E será que perdeu a cara de louco que tem?”
São tantas perguntas, meus queridos (a). Às vezes até choro por não saber responder-las, a minha incapacidade é horrivelmente triste, só me resta tentar ficar em paz.
E talvez orar novamente, quem sabe assim Deus não me dá a paz que tanto quero.

Obrigada.

Reações: