Interpretando coisas

quarta-feira, 26 de agosto de 2009 - Postado por Luiza Drumond às 09:36

Nunca se sabe se está interpretando ou não.
Ou se é, seu eu que está ali, debruçado no chão, ouvindo uma bela canção.
Roteiros, reações, canções, diz o que é bom, eis a questão.
A dança ritmava a atuação. O violão apenas canta corações nas mãos, destruídos, que descobre que foi tudo em vão, apenas dizendo não.
A fotografia guarda latidos de um velho cão, que um dia estava junto ao seu irmão, deitado em um colchão.
O café já amargo, já não é tão doce, igual ao seu vestido verde- limão, que está rasgado, manchado, está escrito em alemão, eu já esqueci o tom, seja lá qual ele for, eu já não acho bom.
Reações: