Moldura

quarta-feira, 5 de maio de 2010 - Postado por Luiza Drumond às 06:15

Sou mais uma Luiza,
Uma vírgula, um ponto que
Não cabe na mesma linha.
Um ponto de interrogação de
Cabeça para baixo.
Uma vírgula de meio traço.
Um asterisco mal feito e
Inacabado.
Sem brilho, porém não
Amargurado.
Teimosa feito o mais,
Que sempre tem um porém
Ou algo a mais.
Uma poesia que nasce
E renasce, um ponto,
Uma vírgula, um asterisco,
Tanto faz, uma Luiza a mais.
Reações: